Últimas notícias do evento

Caixa volta a oferecer financiamento de imóveis mais barato

Postado em Atualizado em

Caixa econômica federal financiamento
09/09/16

A Caixa Econômica Federal vai voltar a oferecer a linha de financiamento pró-cotista, a mais barata do mercado para imóveis com valor entre R$ 225 mil. O crédito já está disponível para clientes do banco, seguindo o anúncio de que a linha ganharia R$ 3,6 bilhões de reais em recursos adicionais.

Essa é uma das linhas de financiamento mais acessíveis do mercado, com taxas de juros entre 7,85% e 8,85%. O percentual de valor financiado é de 80% para aquisição de  imóveis usados e 85% para imóveis novos, mesmas condições estabelecidas no ano passado; o prazo do financiamento também continuam os mesmos, de até 360 meses.

Segundo informações do próprio banco, as regiões de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o valor limite do imóvel deve ser de R$ 750 mil para enquadrar-se na linha de financiamento. No resto do país, esse valor é de R$ 650 mil.

Requisitos

Um dos pré-requisitos para se tornar beneficiário é ter contribuído por no mínimo três anos ao FGTS, não necessariamente contínuos e nem em uma mesma empresa. Além disso, o trabalhador deve estar empregado e contribuindo ao FGTS; caso esteja desemprego, seu saldo deve ser equivalente a 10% do valor do imóvel.

Ser proprietário de outro imóvel localizado na região onde mora ou ser titular de outro financiamento concedido pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação).

Fonte: InfoMoney

http://www.litoraneaimoveis.com/noticia.php?id=753&w=caixa-volta-a-oferecer-financiamento-de-imoveis-mais-barato

Comprar um imóvel novo ou usado? Dicas ajudam a avaliar a melhor

Postado em Atualizado em

Imobiliaria Litorane imoveis caraguatatuba'

Se você pensa em comprar um imóvel para aproveitar a baixa de preços, pode surgir a dúvida: devo comprar um imóvel novo ou usado? Para decidir, entenda o que você deve avaliar, segundo as dicas dadas pelo FipeZap. Para escolher fique atento aos aspectos práticos de cada imóvel para evitar problemas futuros ou até arrependimentos.

Lançamento: Se você optar por comprar um imóvel novo, ou ainda na planta, preste atenção em obras de outros imóveis da construtora, marcas de materiais e até equipamentos a serem utilizados.

Outro ponto que deve ser avaliado é o regime de construção: se for por empreitada, o preço é fechado, mas sujeito a reajustes; se for por administração, o valor efetivo será repassado aos adquirentes com um valor a título desta taxa.

Além disso, anote os dados de entrada, prestações intermediárias, índices e periodicidades de reajustes, projeção do valor da prestação com a aplicação de juros, no caso de financiamento – certifique-se de que vai conseguir pagar tudo – e entrega das chaves.

Para fazer um bom negócio, cheque ainda se o projeto da incorporação foi aprovado pela prefeitura e se está registrado no Cartório de Registro de Imóveis.

Usado: Caso você decida economizar e escolha um imóvel usado, entenda que quanto mais velho for o empreendimento mais barato será. Observe o estado de conservação e calcule o preço de reforma – se sair muito caro, vale a pena procurar por outra opção.

Verifique a Certidão Vintenária, matrícula do imóvel e certidão de tributos imobiliários. Além disso, para fechar um bom negócio pesquise o passado do imóvel nos cartórios de Registros de Imóveis e na prefeitura para não ter surpresas negativas no futuro.

Fonte: InfoMoney

http://www.litoraneaimoveis.com/noticia.php?id=752&w=comprar-um-imovel-novo-ou-usado-dicas-ajudam-a-avaliar-a-melhor

Saiba quais itens os inquilinos mais buscam nos imóveis

Postado em

Antes de locar seu apartamento é ideal ter em mente o que possíveis inquilinos desejam que ele tenha e o que exatamente estão procurando.

Um levantamento realizado pelo site de aluguel de imóveis Quinto Andar aponta que apartamentos com móveis embutidos nos quartos, cozinha e banheiros são os mais procurados, além de opções que permitem animais de estimação.

Outras características, como ter box nos banheiros, também influenciam. No total, o levantamento aponta os dez itens mais importantes em um apartamento.

“As características listadas aumentam a probabilidade dos apartamentos serem alugados com maior rapidez em relação aos imóveis que não possuem os mesmos itens, independentemente do valor da locação e do bairro”, explica André Penha, co-fundador e CTO da startup.

Um ponto que o CEO apontou é que alguns atributos podem ganhar relevância dependendo da estação do ano. “Os inquilinos tendem a dar mais importância à presença de ar-condicionado no imóvel ao longo do verão, por exemplo”, disse.

Confira quais são os dez itens e como podem ajudar:

Armários embutidos na cozinha resultam em 3,8 vezes mais chances de alugar

Armários embutidos nos quartos resultam em 2,9 vezes mais chances de alugar

Box blindex no banheiro resulta em 2,55 vezes mais chance de alugar

Armários embutidos nos banheiros resultam em 2,4 vezes mais chances de alugar

Permitir animais de estimação resulta em 1,84 vezes mais chances de alugar

Garagem fixa resulta em 1,78 vezes mais chances de alugar

Banheiro de serviço resulta em 1,39 vezes mais chances de alugar

Chuveiro a gás resulta em 1,30 vezes mais chances de alugar

Fogão e geladeira inclusos resultam em 1,20 vezes mais chances de alugar

Quarto de serviço resulta em 1,12 vezes mais chances de alugar

Fonte: InfoMoney

http://www.litoraneaimoveis.com/noticia.php?id=750&w=saiba-quais-itens-os-inquilinos-mais-buscam-nos-imoveis

Lavanderia pequena e organizada

Postado em Atualizado em

 

Lavanderia pequena e organizada

Publicado por Minha Casa em Quinta, 14 de janeiro de 2016

Dr. Bactéria dá dicas para acabar com mofo e fungo em imóveis na praia

Postado em Atualizado em

Quanto mais perto da praia melhor. Porém, a umidade alta em casas e apartamentos vem de brinde e provoca o aparecimento mais rápido de mofo e o surgimento de fungos. O Dr. Bactéria dá dicas de como acabar com eles. Confira!

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Flitoraneaimoveiscaragua%2Fvideos%2F1342104385819092%2F&show_text=0&width=560

O condomínio pode divulgar as unidades inadimplentes?

Postado em Atualizado em

Às vezes, se alega existir “dano moral” nesta divulgação, mas, na verdade, o que existe é simples exercício de direito, desde que razoavelmente realizada.

FOTO: MÔNICA ZARATTINI/AE
FOTO: MÔNICA ZARATTINI/AE
Jaques Bushatsky*

Apontar e divulgar no âmbito interno do condomínio a unidade em débito é dever do síndico. O Código Civil, ao regrar a atividade do síndico, impõe a ele prestar contas à assembleia, cobrar as contribuições e dar imediato conhecimento aos condôminos acerca de procedimentos administrativos ou judiciais.

Como o síndico poderia explicar as lacunas no orçamento, decorrentes de inadimplementos, sem indicar a unidade devedora e os procedimentos que foram iniciados para o recebimento? Que razão haveria para sonegar aos adimplentes informes sobre os inadimplentes, que, na prática, findam sustentados por aqueles que pagam em dia as contribuições?

Às vezes, se alega existir “dano moral” nesta divulgação, mas, na verdade, o que existe é simples exercício de direito, desde que razoavelmente realizada. O dano moral indenizável é aquele que efetivamente signifique injustificada lesão, prejuízo à vítima – como, por exemplo, quando ocorre uma cobrança indevida, o protesto de um título sem causa –, sempre devendo ser averiguadas as circunstâncias de fato.

Portanto, é plenamente justificável apontar que determinada unidade é devedora, quando o é realmente. Evidentemente, a indicação de inadimplemento deve ser realizada sem estardalhaço, sem extrapolar a natural exposição, ou seja, sem excessos.

Pela importância da questão, creio que é conveniente citar a jurisprudência, lembrando decisão relatada pelo desembargador Kioitsi Chicuta, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que diz: “A revelação de devedores é obrigação e não existe prova de que o réu tenha obrado com intuito de submeter o condômino à situação vexatória. Aliás, de igual intensidade é o sentimento daquele que paga suas obrigações em dia, mas se vê obrigado a suportar no rateio da parte dos inadimplentes.”

Essa decisão representa muito bem a compreensão dominante nos tribunais brasileiros. Como se percebe, foi com exatidão recordada a situação dos adimplentes, doídos obviamente ao arcarem com despesas que não são suas. Enfim, não configura dano moral a indicação no âmbito no condomínio de inadimplemento, efetivamente, existente desta ou daquela unidade.

Advogado, membro do Conselho Jurídico da Presidência do Sindicato da Habitação (Secovi-SP) e coordenador do Programa Qualificação Essencial (PQE) do Sindicato.

Do Estadão